sexta-feira, 30 de maio de 2008

Hoje ao acordar dei-me conta que está a chegar ao fim uma fase importante da minha vida.
Espera-me um novo desafio e uma nova realidade que obrigatoriamente vai levar ao afastamento de pessoas e coisas.
Pensar no que está para trás, no que fui e no que sou é de facto estranho e mexe cá dentro.
Sinto-me a sair de mim mesma.
Muitas pessoas preencheram e preenchem esta fase...tal como tu (e tantos TU´s existem aqui)!
Obrigada por cada etapa partilhada e atingida...obrigada por cada etapa em que o coração bateu mais rápido...obrigada por cada etapa em que chorei, sorri, lutei, alcancei!

domingo, 25 de maio de 2008

(Des)Encontro

Encontrei-te como se estivesses estado sempre no mesmo local...
Encontrei-te como se o tempo não tivesse passado e as palavras magoado...
Encontrei-te como se o momento fosse apenas a continuação...
Encontrei-te nesse cheiro, nesse toque, nesse olhar, nessa palavra
Encontrei-te no desencontro já anunciado
Encontrei-te na incerteza do momento
Mas terei-te de facto encontrado ou será apenas a ilusão de um momento partilhado?
Talvez nunca a resposta seja encontrada...porque está escondida, lá longe, no baú dos segredos!

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Vestígio


Acordo à procura de um vestígio teu...

de algo que me faça sentir que estás ali!

E o ali é aquele teu toque, aquele teu olhar, aquele teu cheiro....

que recordo e procuro com a mão estendida para ti!

Mas...

nada...

não há sinal de ti...

não há a tua presença, a tua marca, o teu vestígio!

Somente a tua ausência, a tua distância, a tua incerteza...

E o teu nome, o teu rosto, o teu olhar...continuam ali...como uma sombra intensa de mim....na infinitude de uma procura...

E neste infinito procuro e anseio por ti!


Procuro


Procuro um lugar, um momento, um gesto, uma palavra, um nós e um tu...que não existe mais!

E procuro, porque aquele lugar, aquele nós me fizeram sentir, em algum momento, o ser especial!


Procuro porque não o tenho já comigo...a esse momento...a esse gesto ou palavra!


Procuro porque a alma perdida e sedenta quer um pouco mais de um momento que se perdeu nas entrelinhas da dúvida, da interrogação, da incerteza certa...nas entrelinhas das vidas comentadas...

Procuro sem saber porquê e para quê...procuro porque tu me levas a fazê-lo...
Procuro porque não soube um dia, dar vitória à razão!

terça-feira, 13 de maio de 2008

Arrepio

Não sei bem as palavras que me trazem hoje aqui, mas algo me impulsionou a fazê-lo...
Talvez porque hoje...senti, como quem sente a brisa fria das manhãs de inverno, a estranha sensação de um arrepio...
Aquele arrepio que nos prova, sem margem para dúvidas ou questões, que estamos ainda ligados àquele dia mais longo e mais quente!
Que estamos ainda ligados a uma brisa simultaneamente forte e serena, mas que nos causa um arrepio de contentamento, satisfação...
Não como este, o de hoje, que carrega a tristeza, a desilusão, a certeza do longínquo e a incerteza de existir ou não uma nova brisa que sopra de um local não novo, mas distinto!

domingo, 4 de maio de 2008

Distante

Tenho andado um pouco distante deste recanto tão necessário da minha vida...porque distante tenho andado da realidade que me prende...
Quando aqui chego todos os dias e ollho para as linhas já escritas, fica um vazio para novas linhas...porque tenho estado na corda bamba entre este vazio e a repleta presença de sentimentos confusos e difusos...e talvez por tudo isto não tenho consigo partilhar o que me vai cá dentro...
Sinto necessidade de escrever, partilha, mas sinto em primeiro a necessidade de perceber, compreender, o que penso, sinto e quero...